BH adere a plataforma da ONU para equidade de gênero

Mulher negra de microfone fala com mulher branca em palestra. Imagem do Fórum de Gênero da Regional Norte. Foto: Regional Norte/PBH

BH adere a plataforma da ONU para equidade de gênero

18/08/2017 | 12:55 | atualizado em 22/08/2017 | 16:53

A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania (SMASAC) e juntamente com o Consórcio Mulheres das Gerais, assina nesta segunda-feira, dia 21, a adesão das cidades de Belo Horizonte e Betim à Plataforma “Cidade 50-50: todos e todas pela igualdade”, das Organizações das Nações Unidas – ONU.

 

A adesão dos municípios será formalizada em solenidade que prevê a presença dos Prefeitos de Belo Horizonte, Alexandre Kalil e de Betim, Vittorio Medioli, que também é presidente do Consórcio Mulheres das Gerais. O evento tem início previsto para as 10h, no Auditório JK da Prefeitura (Av. Afonso Pena, 1212 – Centro). O ingresso da capital mineira no programa coincide com o aniversário de 21 anos de fundação do Centro de Apoio à Mulher – Benvinda.

 

O termo que será assinado reitera compromissos de gestão que serão assumidos pelos Prefeitos de Betim e Belo Horizonte e pelo Consórcio Mulheres das Gerais, com a agenda da ONU Mulheres. Tais compromissos estão, serão executados a partir de 6 eixos: governança e financiamento, empoderamento econômico, participação política, saúde, educação inclusiva e enfrentamento à violência contra as mulheres.  

O evento prevê ainda a presença da Representante da ONU Mulheres no Brasil Nadine Gasman, da Promotora de Justiça de Justiça de Defesa da Mulher, Dra. Patrícia Habkouk e da Coordenadora da Rede Estadual de Enfrentamento à Violência contra a Mulher e Vice-Presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, Terezinha Avelar.

 

Cidade 50-50

 

A plataforma “Cidade 50-50: todas e todos pela igualdade” é uma iniciativa da ONU Mulheres em parceria com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o Instituto Patrícia Galvão (IPG) e o Grupo de Pesquisa sobre Democracia e Desigualdades da Universidade de Brasília (Demode/UnB).

Lançado no ano passado, a plataforma se dirige a dois públicos: aos candidatos e candidatas participantes das eleições de 2016 e aos municípios brasileiros que se comprometem com políticas públicas que promovam a igualdade de gênero. O objetivo da iniciativa  é que estes públicos assumam compromissos com os direitos das mulheres.

 

O Benvinda

 

O Benvinda – Centro de Apoio à Mulher foi um dos primeiros equipamentos voltado para as mulheres no Brasil, atuando no enfrentamento da violência de gênero antes mesmo promulgação da Lei 11340/ 2006 – Lei Maria da Penha.

 

A casa foi fundada em 1996 com a proposta de atuar com políticas públicas para mulheres contemplando ações de promoção, proteção e defesa de direitos, além do enfrentamento ao fenômeno da violência de gênero.

 

O serviço realiza atendimentos sociais, psicológicos, orientações jurídicas e grupos reflexivos sobre gênero e violência, visando contribuir para o enfrentamento à violência por meio de estratégias de atendimento que objetivam o fortalecimento da mulher a compreensão e prevenção dessa violência, bem como da articulação em rede de serviços públicos para atendimento as mulheres, buscando criar condições necessárias para que as mesmas construam, com o suporte do equipamento, possibilidades de ruptura com a violência que vivenciam.

Fonte: prefeitura.pbh.gov.br/noticias/bh-adere-plataforma-da-onu-para-equidade-de-genero

admin

Um texto sobre min....