BH em Pauta: Alunos fazem gincana contra o Aedes aegypti

Mais e 25 alunos fazem apresentação com cartazes sobre coscientização contra a proliferação do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue e outras doenças.Foto: Avanilton Aguilar/PBH

BH em Pauta: Alunos fazem gincana contra o Aedes aegypti

31/10/2017 | 15:19 | atualizado em 18/01/2018 | 10:36

O objetivo inicial era orientar e conscientizar os alunos e a comunidade escolar quanto aos riscos da má utilização e conservação do meio ambiente e às doenças que podem advir desse mau uso, como dengue, zika, chikungunya, febre amarela, entre outras. Passados nove meses da gincana promovida pela Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), por meio do Centro de Saúde Andradas e da Escola Municipal Antonia Ferreira, da região de Venda Nova, os resultados foram além com o projeto de educação ambiental “Formando guerreiros contra o Aedes aegypti”. Antes da chegada do período chuvoso, foram retirados do ambiente 38,4 quilos de latinhas, 96,4 quilos de garrafas pet e 38 pneus, na prova do recolhimento de inservíveis, uma das etapas da gincana.

Além de contribuir para a educação ambiental, o material recolhido gerou dinheiro para a compra das 90 medalhas entregues aos alunos dos três primeiros lugares. A idéia de dar destino ao material recolhido foi de Bruno Oliveira, coordenador de Zoonoses no Centro de Saúde Andradas: “Conseguimos bons preços com o material recolhido pelos alunos, cerca de 250 reais. E os pneus estão sendo utilizados para compor a horta do Projeto Escola Integrada aqui da escola”, conta ele.  

 

Quiz Gincana 

A etapa final denominada Quiz Gincana aconteceu na manhã de quarta-feira, dia 25 de outubro, na quadra da escola, reunindo quase 300 alunos, além dos professores envolvidos e a equipe de controle de zoonoses do centro de saúde. Ao microfone, a agente Viviane da Silva Antunes fazia as perguntas, apresentava as opções de resposta e a banca de cada turma participante – no total de três alunos – escolhia a resposta que considerava certa. Quiz é o termo usado para definir o jogo de pergunta e resposta que tem como objetivo fazer uma avaliação dos conhecimentos sobre determinado assunto. No Quiz Gincana, os alunos tiveram que responder dez perguntas com quatro opções de resposta, mostrando os conhecimentos sobre o Aedes Aegypti. 

A turma que obteve o melhor desempenho no Quiz foi a sala 13, com 450 pontos e somente um erro. Sabrina Souza de Oliveira foi uma das integrantes da banca e conta que se preparou muito para essa última tarefa: “Estudei por três dias. Fiquei nervosa porque erramos uma questão, mas a gincana teve um efeito muito bom que foi a lição para combater o Aedes Aegypti”. 

Antes do anúncio dos vencedores, a equipe de zoonoses do centro de saúde apresentou um esquete teatral intitulada “Dona Maria contra o Aedes Aegypti”, mostrando, com bom humor, como impedir a ação do Aedes e se proteger das doenças transmitidas por ele. A aluna Júlia Fernanda Ferreira da Silva gostou do teatro e de participar da gincana, e conta o que aprendeu. “Aprendemos a fazer reciclagem de inservíveis, que podem acumular água, onde prolifera o Aedes Aegypti. É sempre importante não deixar água parada e colocar areia nos pratinhos onde ficam os vasos de flores”, reflete. 

 Aprendizado para a vida

O projeto “Formando guerreiros contra o Aedes aegypti” foi idealizado pela agente de controle de zoonoses Viviane Antunes. A gincana foi desenvolvida de maio a outubro, em várias etapas, nas quais as turmas eram avaliadas pelo desempenho a cada tarefa proposta. A etapa de formação do agente mirim se destacou: nela, as crianças fizeram intervenções em praças, comércios, sinais de trânsito, na escola e nas próprias casas com os pais e familiares, tudo fotografado e apresentado em sala de aula. Outra tarefa relevante foi a de recolhimento de inservíveis – os alunos levaram para a escola quase 3500 itens de materiais que seriam jogados no meio ambiente. 

A escolha da faixa etária dos alunos, segundo Viviane Antunes, que é pedagoga, tem um motivo importante: “Nessa fase, a criança torna-se capaz de pôr as ideias em sequência, tem mais capacidade de concentração em tudo o que faz e o senso crítico está mais acentuado. O que for construído nessa fase os acompanhará por toda a vida”, explica.

 Resultado final 

Além da medalha para os alunos das três turmas vencedoras, todos os participantes da gincana receberam um certificado. Jacira Maria Martins, diretora da Escola Municipal Antônia Ferreira, agradeceu a iniciativa do centro de saúde. “Essa parceria, incentivando o tema de combate à dengue, zika e chikungunya, resultou em uma gincana com os alunos do 4º e 5º anos, e os estudantes e professores participaram efetivamente com entusiasmo e dedicação. Tenho certeza de que aprenderam muito e se tornaram agentes multiplicadores na proteção do meio ambiente e combate aos focos do Aedes aegypti”, comemora.

 

O 3º lugar da gincana ficou com a sala 13, da professora Grace, com 983,5 pontos. O segundo lugar coube à sala 17, da professora Fernanda, com 1542 pontos. O primeiro lugar ficou com os alunos da sala 16, da professora Gisele Inês, que contabilizou 1950 pontos.

 

 

Fonte: prefeitura.pbh.gov.br/noticias/bh-em-pauta-gincana-contra-o-aedes-aegypti

admin

Um texto sobre min....