BH em Pauta: Tabelinha que educa

Alunos da Escola Municipal Itamar Franco posam ao lado de goleiros do América, time de futebol de Belo Horizonte Foto: Ana Nunes/PBH

BH em Pauta: Tabelinha que educa

22/06/2017 | 16:17 | atualizado em 24/07/2017 | 08:00

Waldyr Antônio de Lellis ficou conhecido no futebol como “Amarelinho”. Gandula em Belo Horizonte durante a Copa do Mundo de 1950, o meio-campista jogou pelo América até 1965. Agora, ele joga como palestrante para crianças em uma parceria da Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Educação (SMED), com o América Futebol Clube.  

Desde maio passado, estudantes de escolas municipais têm a oportunidade de conhecer de perto o Centro de Treinamento Lanna Drummond. O América foi o primeiro clube a fechar uma agenda com a SMED e já recebeu visitas de três grupos de estudantes. Sempre às segundas-feiras, a partir das 15h, serão 13 visitações de escolas, totalizando mais de 500 alunos até agosto deste ano.   

Já visitaram o CT do América as Escolas Municipais Presidente Itamar Franco e Vinícius de Moraes, do Barreiro, e a Dom Bosco, da regional Noroeste. A próxima visitação ao Lanna Drummond será no dia 26 de junho por estudantes da Escola Municipal Professor Mello Cançado (Barreiro).  

Nas palestras que dá às crianças, o ex-jogador Amarelinho resgata a história do Coelho e fala da postura que os jogadores devem ter com a camisa do clube, além das responsabilidades e rotina. Amarelinho lembra às crianças que as pessoas têm direito de torcer para o time que quiser, mas que é preciso haver respeito entre elas, sempre. “Gentileza e cortesia não custam nada e só fazem bem”, ressaltou o ex-atleta, agora relações públicas do clube.  

Participam das visitas estudantes com idade entre 6 e 10 anos do Programa Escola Integrada. Taynara Ferraz, de 8 anos, acompanhou a primeira visita ao CT do América e gostou da atuação dos goleiros: “Jogo futebol na rua, às vezes, e na escola. Gosto de ficar no gol. Achei legal ver os goleiros.” Já Ryan Soares Viera, 8, ficou de olho nos jogadores de frente. “Legal, gostei do campo. Jogo como atacante na escola.”  

O diretor de base do América, Evandro Guimarães, também conversou com os estudantes e enfatizou que, para ser um bom jogador, assim como um bom estudante, é preciso disciplina e atenção ao que é ensinado, além de muito treino.

 

Ampliar experiências na cidade

 

 

A visita de estudantes aos centros de treinamento é apenas uma das ações do Programa Escola Integrada para propiciar aos alunos de escolas municipais contato com espaços diferentes da cidade. Este ano, o programa conseguiu levar cerca de mil estudantes para jogos de América, Atlético e Cruzeiro, tanto em jogos pelo Campeonato Mineiro quanto pelo Campeonato Brasileiro.  

Segundo Jussara Miranda Quintão de Oliveira, da equipe da Secretaria de Educação, os passeios dão aos estudantes a oportunidade de conhecer espaços diferentes da cidade e ter contato com um mundo que, muitas vezes, eles conhecem apenas pela televisão.

Fonte: prefeitura.pbh.gov.br/noticias/bh-em-pauta-tabelinha-que-educa

admin

Um texto sobre min....