Procon-BH alerta consumidores sobre Black Friday

Ao lado de uma vitrine com roupas, ótica exibe os dizeres Black Friday, 70% de desconto e 10x.Foto: Divulgação/PBH

Procon-BH alerta consumidores sobre Black Friday

14/11/2017 | 15:36 | atualizado em 14/11/2017 | 16:22

Novembro chegou e com ele a Black Friday, um movimento lojista de inspiração norte-americana, que promete ofertas imperdíveis e que já virou moda no Brasil. Desde 2011, a Black Friday caiu no gosto do brasileiro. O evento começou no ambiente on-line e, posteriormente, expandiu-se para as lojas físicas.

 

Passear pela cidade nessa época do ano é uma tentação, ainda mais com tantas ofertas estampadas nas vitrines. A Black Friday BH, por exemplo, é realizada em vários pontos da cidade. Além das lojas de rua, os shopping centers também participam do movimento de liquidação.

 

Os principais centros comerciais da cidade apostam nas oportunidades em equipamentos eletrônicos como televisores, smartphones, computadores e tablets. E, aí, surgem as dúvidas. O que escolher? Preciso desse produto em casa? Será que os produtos ofertados estão mesmo com preços menores do que os praticados no decorrer do ano ou configuram uma mera enganação?

Para a advogada Aline Utsch, de 27 anos, o monitoramento de preço é uma ferramenta essencial para adquirir os produtos com preços baixos. Ela e o marido adoram a Black Friday e todo ano compram novos eletrodomésticos. “Esse ano quero comprar uma panela que frita os alimentos sem o uso do óleo. Observei que os preços dos televisores e celulares não valem a pena porque aumentam bastante e não compensa comprá-los”, declarou.

Segundo dados da organização do evento, em 2016, foram movimentados R$ 1,9 bilhão de vendas no Brasil, o que representou um aumento de 17%, quando comparado ao ano de 2015. No e-commerce, foram realizados 2,23 milhões de pedidos e mais de 281 mil pessoas compraram pela internet. Este ano, a expectativa é de 2,2 bilhões.

“Com a queda nos preços de produtos que pesam no orçamento familiar dos brasileiros, como alimentos, o consumo de bens de maior valor agregado, como eletrodomésticos e eletroeletrônicos, volta a ser uma prioridade. Na última edição, as categorias mais buscadas foram eletrodomésticos (22%), eletroeletrônicos (20%), viagens (14%), moda (14%), informática (9%), casa e decoração (5%)”, explica Ricardo Bove, diretor da Black Friday no Brasil. 

Dicas do Procon-BH

O consumidor deverá ficar atento às ofertas, condições de pagamento e prazo de entrega dos produtos que pretende adquirir. A diretora do Procon-BH, Mônica Teixeira Coelho, listou algumas dicas que devem ser seguidas antes de qualquer compra:- Em se tratando de e-commerce, verifique se o site da loja é confiável, pesquisando outras referências e opiniões, caso a loja não seja muito conhecida, prefira efetuar o pagamento através de cartão de crédito.- Salve os e-mails trocados com o fornecedor, pois eles servem de comprovantes, no caso de trocas ou não recebimento do produto.- Se o pagamento for feito por meio de boleto bancário, ele deve ser efetuado com cuidado, pois este é um dos meios mais utilizados para a realização de fraudes, com a possibilidade de alteração dos dados de pagamento. Optando por este meio de pagamento, preferencialmente, o boleto deve estar um formato PDF, que é bem mais seguro do que o impresso direto na página.- No caso de produtos importados adquiridos no Brasil, estes seguem as mesmas regras dos produtos nacionais desde que sejam de estabelecimentos legalizados.- Fique atento aos preços apresentados antes da Black Friday para constatar se realmente foi concedido o desconto prometido, pesquise e compare os preços.- Observe o prazo de entrega da mercadoria que deve estar registrado na nota fiscal ou no recibo.- Leia as políticas de troca e devolução do estabelecimento e as letras de rodapé, para ter ciência no caso de eventuais condições diferenciadas aplicadas pelo estabelecimento e evitar surpresas desagradáveis.- Examine a mercadoria e assine o documento de comprovação de recebimento, após a confirmação do estado do produto (qualquer irregularidade deve ser justificada e a empresa responsável deve resolver o problema).Este ano, a Black Friday será realizada no dia 24 de novembro (sexta-feira), última semana do mês. Mas as ofertas já estão disponíveis nos sites das próprias lojas participantes. A principal recomendação é pesquisar os produtos e comparar os preços de antes e depois da promoção.É importante lembrar que, nas compras efetuadas durante a Black Friday, os direitos do consumidor continuam os mesmos, ou seja, o comprador tem o prazo de 30 dias para reclamar de defeitos (caso o produto seja não durável) e 90 dias, caso o produto seja durável – por exemplo, geladeiras, televisores, máquinas de lavar, computadores, entre outros. Em se tratando de compras efetuadas pela internet, em caso de desistência da compra, a mercadoria poderá ser devolvida no prazo de sete dias após o recebimento do produto.

Fonte: prefeitura.pbh.gov.br/noticias/procon-bh-alerta-consumidores-sobre-black-friday

admin

Um texto sobre min....